Artigos

95778227 (1)

Covilhã

Comece o dia com um revigorante passeio matinal pelo Jardim Público, um espaço agradável que dispõe de um pequeno parque infantil vedado, com todo o equipamento habitual neste género de recintos. Aí perto, aprecie o sólido edifício, em granito trabalhado, da Igreja de São Francisco. No interior, poderá ver os túmulos de D. Joana de Castro e do seu marido, João Fernandes Cabral, alcaide-mor de Belmonte e irmão de Pedro Álvares Cabral. Depois, ainda na área em redor do jardim, do lado oposto à igreja, repare num lindíssimo palacete (o Palacete Jardim). Este edifício é considerado um exemplo clássico do estilo Arte Nova em Portugal, o que está bem patente na azulejaria e nos motivos das sacadas, em ferro forjado. Infelizmente, está um pouco degradado. Em frente, do outro lado da rua, encontra-se um bonito fontanário, talhado em pedra branca (fins do séc. XIX).

mus_0325

Anta do Zambujeiro

Inicie agora o passeio pela região a sul de Évora. Se o desejar, ainda pode fazer algumas compras de loiças e artesanato regional, junto à muralha do Jardim Público. Caso contrário, coloque o conta-quilómetros a zero e, saindo do Rossio de São Brás, vire à direita; depois de passar a Praça de Touros, volte novamente à direita, encontrando a Rotunda da Porta do Raimundo, de onde poderá seguir na direcção de Alcáçovas.

• A cerca de 3 quilómetros, encontra-se, à direita, um conjunto de pinheiros perto de um grande sobreiro destacado, onde, na Primavera possível observar uma enorme quantidade de garças-brancas que aí nidificam. Existe bastante espaço à beira da estrada para estacionar em segurança e observar, com toda a tranquilidade, este ruidoso espectáculo natural. Mas tenha o cuidado de não se aproximar demasiado das árvores com ninhos, nem assustar os animais de qualquer modo.

• No cruzamento que se encontra 6 quilómetros adiante, vire à direita, na direcção de Valverde e São Brissos. Um pouco depois, junto à universidade, volte de novo à direita, na direcção de Guadalupe e Valverde. Depois de passar por baixo de um aqueduto com um bonito portal encimado por um escudo, encontra-se a indicação do caminho para a Anta do Zambujeiro, à direita. Passados os armazéns de material agrícola da universidade, entra-se numa estrada de terra batida que leva a um largo à beira de um regato. Pode estacionar aí ou, se tiver um veículo todo-o-terreno, atravessar o regato e percorrer mais uns 200 metros até ao monumento. Se quiser ir a pé, pode usar uma pequena ponte.

• A mamoa da Anta do Zambujeiro tem mais de 50 metros de diâmetro e envolve uma enorme anta, de câmara poligonal e corredor longo abrindo-se em átrio para o exterior. Embora o seu aspecto revele um certo descuido, trata-se, de facto, de uma das maiores construções megalíticas do género na Europa. Este templo funerário funcionou como cemitério e local de culto, associado à estela-menir de grandes proporções, coberta de pequenos orifícios, que se encontra tombada a sudoeste. O vasto espólio encontrado nas escavações aí efectuadas nos anos 60 – vasos de cerâmica, lâminas e pontas de setas em sílex, instrumentos de cobre, etc. – está guardado no Museu de Évora.

centro-evora

Em Évora

Comece por estacionar no Rossio de São Brás (que não fica longe da Praça de Touros), na zona sul da cidade, e aproveite para dar uma volta pelo Jardim Público de Évora, que fica ali perto. É um espaço verde muito bem cuidado, com agradáveis retiros, onde poderá sentar-se calmamente, lendo um livro à sombra fresca do arvoredo ou fazer uma pequena corrida de manutenção. A abertura e o fecho do jardim processam-se, respectivamente, com o nascer e o pôr do Sol, o que não deixa de dar um toque de romantismo aos dias de hoje, tiranicamente regulados ao segundo pelos relógios electrónicos.

• Dentro do jardim, poderá visitar o chamado Palácio de D. Manuel, também conhecido por Convento Real de São Francisco, onde, segundo alguns cronistas, Vasco da Gama foi investido no comando da esquadra que empreendeu o descobrimento do caminho marítimo para a índia. Na Galeria das Damas, que é o que resta do antigo imóvel quinhentista, ainda são visíveis alguns elementos arquitectónicos resultantes da mistura peculiar dos estilos gótico-manuelino-mudéjar e Renascença. Aí trabalharam grandes mestres, como Francisco Arruda, Nicolau Chanterene e Diogo de Torralva. No palácio estão patentes, ocasionalmente, exposições temporárias diversas.

• Mais ou menos a meio do jardim, existem umas escadarias que, atravessando a muralha que delimita o perímetro sul do mesmo, conduzem ao Parque Infantil. As crianças dispõem aqui de diverso equipamento de muito boa qualidade, à espera das suas brincadeiras. No mesmo local, existe também um Museu do Brinquedo, bem como uma biblioteca infantil e uma ludoteca. Depois de mostrar às crianças os brinquedos que, eventualmente, deram corpo às fantasias da sua meninice, acompanhe-os a ver espectáculos de fantoches e muitas outras brincadeiras orientadas por diversos animadores. A ludoteca está aberta de terça a sexta-feira, das 10 h às 12 h e das 14 h às 17 h; durante os fins-de-semana funciona em regime de voluntariado, de acordo com a disponibilidade (e a boa-vontade) dos animadores.

• Se quiser partir à descoberta da cidade, sugerimos um passeio a pé, que lhe permitirá perscrutar tranquilamente o emaranhado de ruas e ruelas, repletas de pormenores arquitectónicos curiosos. Monumentos e museus interessantes não faltam em Évora, que, por isso mesmo, foi apelidada de “cidade-museu”. Basta dirigir-se ao Posto de Turismo, na Praça de Giraldo (tel. 266 70 26 71), em pleno centro da cidade, para ficar a saber tudo o que há para ver, comprar, comer e beber nesta cidade cheia de luz.

• Mesmo por detrás da catedral, fica o ainda pouco conhecido Museu de Carruagens, na Galeria São Migue), ao qual sugerimos uma visita. Estão expostos arreios e carruagens dos séculos XVIII e XIX, oferecidos por várias herdades da região. Ocasionalmente, também se realizam aqui exposições temporárias de pintura e artesanato. O museu está aberto diariamente das 10 h às 12 h e das 15 h às 18 h e fecha às quartas e feriados.

14121324464_f176f5ac32_h

Jardim Público

Para fazer uma pausa depois da refeição, especialmente se estiver calor, dirija-se ao Jardim Público. É um grande espaço de lazer, muito agradável e bem” cuidado, onde poderá passar algumas horas ao abrigo do sol forte do Alentejo. Para além de um lago com patos e de uma pequena mata com bastante arvoredo, o espaço oferece ainda aos visitantes uma rampa de desportos radicais, um parque infantil muito bom e um anfiteatro ao ar livre, onde por vezes são realizados espectáculos. Existe também um bar com esplanada, onde poderá tomar uma refeição ou uma bebida refrescante, instalações sanitárias públicas e bebedouros, espalhados por todo o espaço.

Local: Rua Zeca Afonso (ao lado do Mercado Municipal).
Horário: Verão – de domingo a quinta, das 08.00 h às 24.00 h; sexta e sábado, das 08.00 h às 02.00 h. Inverno -de domingo a quinta, das 08.00 h às 22.00 h; sexta e sábado das 08.00 h às 24.00 h.
Preço: gratuito.

transferir (1)

Regresso a Beja

Saia de Ferreira, em direcção a Beja, pela Avenida General Humberto Delgado. Se é realmente um apaixonado pela arquitectura civil alentejana, não deixe de visitar Peroguarda, considerada, pelo seu aspecto urbanístico e costumes, uma das mais típicas aldeias da região. Para isso, volte à esquerda quando vir a indicação Cuba. Chegado à aldeia, percorra as suas ruas estreitas, entre casinhas caiadas de branco, e visite a Igreja Paroquial de Santa Margarida.

Para regressar a Beja, volte à EN 121. Chegado ao ponto de partida do percurso, descanse à sombra do arvoredo do Jardim Público e prove a afamada doçaria, inspirada pela paixão de Mariana Alcoforado, como o toucinho do céu da Soror Mariana.

parque aquatico fafe, parque aquatico de fafe, parque aquatico de fafe preços 2013, casa do penedo, burros, parque aquatico fafe preços, praias fluviais algarve, escapadelas baratas, parque aquatico fafe site oficial, casa do penedo fafe .