Artigos

SONY DSC

A caminho de Carapacho

Continue pela mesma estrada, subindo o morro, até chegar a um planalto onde estão instalados os enormes moinhos de vento do parque eólico da ilha. Mesmo ao lado, abre-se uma cratera muito profunda, a chamada Caldeirinha. Talvez seja uma boa altura para estacionar e apreciar a paisagem magnífica. Sensivelmente a noroeste, elevam-se os picos do Facho e Timão. Repare nos milhafres que patrulham os campos próximos, num voo planado e lento, em busca de presas.

12399687703_79f6bba589_o

Alturas do Barroso

Após este pequeno desvio, volte, mais uma vez, à estrada principal e siga para Alturas do Barroso. Tenha paciência com as manadas que, muito provavelmente, encontrará pela estrada, passando de umas pastagens para outras. E, se ainda não o fez, aproveite para reparar na enorme quantidade de aves de rapina que sobrevoam os campos… Chegando à aldeia, poderá subir à Capelinha de Santo Isidro, de onde terá uma vista bastante interessante sobre os arredores.

• Pouco depois de sair de Alturas do Barroso, na direcção de Atilho e Lavradas, a Barragem do Alto Rabagão começará a aparecer, lá em baixo, do lado esquerdo da estrada. Depois de passar o entroncamento, à esquerda, para Montalegre e Pisões, vá com atenção: vai ter uma boa perspectiva da barragem.
Passe, de seguida, um pinhal que surge do lado esquerdo e terá uma nova perspectiva, ainda mais desimpedida. A seguir há uma curva à direita e, depois de um pequeno bosque, encontrará, também a direita, um portão de madeira num muro de pedra sobreposta. Em frente a esse portão, mas do lado esquerdo da estrada, vem desembocar um caminho de terra batida. Siga por aí e, cerca de 50 metros depois, pare o carro e procure a barragem.

• À sua frente erguem-se dois pequenos montes, com o cume recoberto por grandes blocos de pedra. Se lhe apetecer desfrutar, realmente, de uma boa panorâmica da barragem, suba ao segundo monte e deleite-se com a paisagem, sentado num dos imensos pedregulhos. Trata-se de um percurso de cerca de um quilómetro, que envolve uma pequena escalada, pouco perigosa.

Lagoa_de_Santo_Andr_2

Lagoa de Santo André

Ao sair do parque, terá de virar à direita no IP8 e, andando um pouco no sentido de Sines, fazer inversão de marcha onde for mais seguro. Volte a apanhara estrada que liga Santiago do Cacém à Lagoa de Santo André, por onde vinha antes de fazer este desvio. Passará por uma aldeia de nome curioso: Deixa-o-Resto.A paisagem alterna entre campos de cultura, pinhal e eucaliptal.

• Chegado à Lagoa de Santo André, estacione no largo próximo dos restaurantes e procure um local mais do seu agrado. Aconselhamos a parte mais próxima do mar, onde a água tem sempre melhor qualidade. Existem algumas pequenas baías de água pouco profunda, onde as crianças podem brincar em segurança. Na margem oposta, formou-se uma enorme duna de areia que as convida a escorregar. Para além de todas as atracções naturais, existem ainda canoas, barcos, “gaivotas” e pranchas de windsurf para alugar.

• Quando já estiver cansado das águas calmas e temperadas da lagoa, poderá sempre dar um mergulho no Atlântico, ali mesmo ao lado, que se espraia sobre um areal a perder de vista.

• Se gosta de passear a pé, faça uma caminhada pela beira da água até à zona mais afastada do mar, onde a presença dos juncos começa a indicar que ali a água já é mais doce e também um pouco mais poluída, sobretudo devido às inúmeras explorações agrícolas ribeirinhas.

SONY DSC

Guadalupe

Continue na direcção de Guadalupe, através de campos de milho e de vinhas, bem protegidas por muros de pedra sobreposta, formando recintos a que chamam “biscoitos”. A vinha cresce bem abrigada entre muros, dando origem a um excelente vinho branco de aroma frutado, ou a uma não menos famosa aguardente da Graciosa.

• Já em Guadalupe, aprecie a bonita fachada da Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, de estilo barroco, construída no séc. XVIII. Nas proximidades, existe um império de traça semelhante.

• Vire agora à direita onde está indicado Almas e Ribeirinha. Seguindo por esse caminho, encontrará um charco, do lado direito da estrada, onde o gado vai beber. Se parar o carro ali perto e esperar um pouco em silêncio, terá o prazer de ver passar quase todas as espécies de aves da ilha, que vêm aqui matar a sede.

1 a praia8

São Teotónio

Saia agora em direcção ao interior, passando por uma discoteca, à esquerda, que durante o Verão anima a noite de alguns e inferniza a de outros. Já nos esquecíamos de dizer que as noites estivais, na Zambujeira, são especialmente animadas, sobretudo em Agosto, altura em que aí se realiza o já célebre Festival do Sudoeste. A seguir, passará pelo parque de campismo e, depois, por vários campos cultivados, numa curiosa e rápida transição da paisagem marítima para a agrícola. O próximo ponto de paragem no trajecto é a vila de São Teotónio, onde chegará depois de cruzar a EN 120. É uma povoação que já acusa a interioridade alentejana, sem o pitoresco que caracterizava as vilas de pescadores. Sem a aragem marítima, o sol é aqui abrasador e, no Verão, todas as sombras são aproveitadas. Mesmo assim, ao longo das ruas de São Teotónio, as árvores são raras. Todos os anos, o momento forte da terra é o Festival dos Mastros, em Junho, altura que as ruas são quase todas enfeitadas com flores de papel, dando-lhe uma beleza que a transfigura.

parque aquatico fafe, parque aquatico de fafe, parque aquatico de fafe preços 2013, casa do penedo, burros, parque aquatico fafe preços, praias fluviais algarve, escapadelas baratas, parque aquatico fafe site oficial, casa do penedo fafe .