4

Serra d’Ossa

Saia da zona velha de Estremoz pela Porta de Évora. Chegando à rotunda, tome a direcção de Elvas. Siga pela EN 4 até encontrar, algumas centenas de metros depois, o cruzamento de ligação ao Redondo. Bastarão alguns quilómetros para começar a sentir os primeiros sinais de serra: um aroma intenso a flores e ervas campestres invade tudo. Pouco tempo depois, estará em plena Serra d’Ossa, conhecida, na Antiguidade, pelo curioso nome de Monte de Vénus.

• Chegando ao alto da serra, a seguir a uma curva, encontrará um espaço, à direita, onde pode estacionar. Daí terá uma óptima vista sobre a base da serra e zonas adjacentes, descortinando-se perfeitamente o Redondo, Alandroal, Borba, Vila Viçosa e diversas pedreiras. Algum tempo depois de iniciar a descida pela vertente oeste da serra, verá, um pouco escondido pelo arvoredo, o antigo Convento de São Paulo (séc. XIV), hoje transformado num confortável hotel. Segundo rezam as crónicas, aí terão pernoitado figuras como D. Sebastião (quando viajava para o Norte de África), D. João IV, D. Catarina de Bragança e D. Carlos. O antigo convento encerra uma das maiores colecções privadas de azulejos do país, bem como duas fontes florentinas e agradáveis jardins. O espaço pode ser visitado, bastando, para isso, contactar a recepção do hotel (tel. 266 98 91 60).

• Continuando caminho, passará, daí a 3 quilómetros, pela Aldeia da Serra, uma povoação simpática, embora bastante descaracterizada, e depois pela Candieira, um local onde se encontram alguns vestígios arqueológicos. Antes de chegar ao Redondo, no lugar de Monte Branco, verá, à direita, o desvio para a Herdade Roquevale, um dos principais produtores de vinho da região, cuja marca mais conhecida é o Tinto da Talha. Se tiver interesse em visitar as caves e, eventualmente, efectuar uma prova de vinhos, contacte previamente a herdade, pelo tel. 266 99 93 88.

Comentários

Comentários