500x500

Salvaterra do Extremo

A próxima paragem é junto ao Rio Erges, perto da fronteira com Espanha, onde as escarpas abruptas testemunharam histórias pitorescas de contrabandistas e destemidos aventureiros.

• Chegando a Salvaterra do Extremo, siga em direcção ao cemitério e, depois, vire à direita, estacionando no final da Rua da Zarca. Evite parar o carro diante das portas, já que aqui é habitual as pessoas sentarem-se à porta de casa. Tome a ruela que desce, à esquerda, e siga sempre por esse caminho. Aproveite para reparar numas casotas circulares, à esquerda, com o aspecto e a dimensão aproximada de uma guarita de uma qualquer fortaleza antiga: são pocilgas, onde, até há bem pouco tempo, eram criados porcos. Fique a saber, também, que a calçada por onde caminha foi construída pelos romanos. Como pode ver, ainda está em óptimas condições de conservação.

• Junto a uns eucaliptos de grande porte, encontrará as ruínas das antigas instalações da Guarda Fiscal. Continuando a descer, chegará ao leito do rio, onde, se lhe apetecer, poderá tomar um banho refrescante, num cenário paradisíaco. Também poderá explorar as azenhas antigas, que se encontram bem integradas na paisagem. A descida faz-se em cerca de 30 minutos, mas a subida requer quase uma hora, com algumas paragens.

Comentários

Comentários