Sabugueiro

Já muito perto do Sabugueiro, que é a aldeia mais alta de Portugal, repare no rio, que aí serpenteia entre enormes pedras graníticas arredondadas pelas fortes torrentes do degelo, e num lago de água cristalina que se assemelha a uma pequena piscina. Se desejar ver mais de perto esta “piscina natural”, passe pelo primeiro grupo de casas, estacione e continue a pé, sempre pela direita. Adiante, tome a vereda que também se encontra à direita – esta levá-lo-á por um trilho sinuoso, até ao rio. Por vezes, o local é frequentado por mulheres da aldeia, que aí vão lavar a roupa – mas a corrente da água é suficiente para manter o local limpo, para benefício de todos.

Depois, mais ou menos a meio da aldeia, vire à direita, na direcção de Penhas Douradas e Manteigas. Vá com atenção, porque as placas estão viradas no sentido oposto e muito deterioradas. Aproveite para prestar atenção à parte velha da aldeia, que não tem nada a ver com o aspecto algo kitsch das lojas que ficam na rua principal. Repare na Igreja Matriz, construída com enormes blocos de granito, e no pelourinho. Como é evidente, se quiser comprar artesanato, queijos e enchidos da região, o Sabugueiro é também um bom local para esse efeito.

Comentários

Comentários