j1

Passeio pedestre pelos Picos da Madeira

Não muito longe do miradouro, encontra-se uma vereda com o chão empedrado com lajes, que permite atingir os picos mais próximos. Poderá dar início a um passeio, com uma extensão de cerca de 10 quilómetros, até ao Pico Ruivo. Trata-se de um percurso pedestre difícil e que envolve algum perigo, pois terá de passar por veredas nas encostas sem qualquer protecção. Além disso, exige uma boa preparação física, devido às inúmeras subidas e descidas íngremes. Se for acompanhado de crianças, deverá prescindir deste passeio. Em alternativa, poderá fazer uma caminhada mais fácil até ao mesmo pico, mais adiante neste roteiro.

• Ao fim de 15 minutos de caminhada, verá, à sua esquerda, os palheiros do Pico Furão, no Curral das Freiras. Depois, passando pelo dique que separa as cabeceiras das ribeiras da Fajã da Nogueira e do Cidrão, chegará ao Pico do Gato, com os seus 1 780 metros de altitude. Um túnel escavado na rocha, com 2 metros de altura e 100 de comprimento, permite atravessar o pico sem ter de o escalar. Adiante, mais três túneis levá-lo-ão através das entranhas da rocha avermelhada do Pico das Torres.

• Leve consigo comida, água, uma lanterna a pilhas e agasalhos, mesmo que o tempo esteja óptimo, porque de um momento para o outro pode surgir nevoeiro ou ocorrer uma baixa brusca de temperatura. Não se esqueça também de marcar bem o tempo de marcha (necessitará de, pelo menos, duas horas), evitando ser apanhado pelo cair da noite. Se começar a acusar fadiga, não hesite em sentar-se um pouco para recuperar forças, inalando profundamente o ar puro da montanha.

Comentários

Comentários