serralves_ppimenta

Parque de Serralves

Trata-se de um espaço extremamente agradável, que inclui jardins, pastagens, bosques, uma casa de chá, um roseiral e um pequeno lago romântico. Como esperamos que possa constatar, um passeio pelo Parque de Serralves, num dia soalheiro e, se possível, num ritmo liberto de preocupações, é uma autêntica dádiva dos céus! O único senão (tinha de haver um…) é que a entrada é paga, apesar de o preço de entrada no museu também dar acesso ao parque. Mas, se gosta de oásis urbanos, verá que vale a pena, mesmo que tenha de pagar a entrada.

Horário: terça a domingo, das 10.00 h às 19.00 h (Março e Outubro), das 10.00 h às 18.00 h (de Novembro a Fevereiro) ou das 10.00 h às 20.00 h (de Abril a Setembro).

• Saindo de Serralves, volte à Avenida da Boavista, continuando no sentido descendente, na direcção do Forte de São Francisco Xavier, mais conhecido como Castelo do Queijo. Passará pelo Parque da Cidade, que fica à direita de quem desce, e é mais um interessante espaço verde de grandes dimensões, com lagos, fontes e relvados. Caso tenha aceite a nossa sugestão de passeio pelo Parque de Serralves, não faz muito sentido ir vê-lo agora, mas talvez ainda possa passar por aqui antes de terminar o percurso.

• Na parte final da descida para o Castelo do Queijo, começa a avistar-se o mar. Chegando à rotunda, faça três quartos de volta e inicie a descida da Avenida de Montevideu. Nessa altura, procure um local para estacionar. Está numa das zonas mais emblemáticas da cidade. Aproveite para admirar melhor o Castelo do Queijo (uma fortaleza construída no séc. XVII sobre uns rochedos, cuja forma peculiar contribuiu para a “alcunha”) e dar um passeio pela zona ajardinada ao longo da avenida.
Encontrará diversas esplanadas, junto às praias, que convidam a uns momentos de descontracção enquanto contempla o mar.

• Continue pela marginal, sempre em direcção à Ribeira. Se puder, vá efectuando pequenas paragens, de forma a familiarizar-se com esta zona nobre do Porto. Daí a pouco, passará pelo Forte de São João da Foz (séc. XVI) e, a seguir, pelo centenário Jardim do Passeio Alegre; depois, avançará, sucessivamente, pela Rua das Sobreiras, Rua do Ouro, Rua de Monchique e Rua Nova da Alfândega, sempre com o Douro por companhia. Nesta última rua, no antigo Edifício da Alfândega, fica o Museu dos Transportes e Comunicações, onde se encontra uma interessante exposição sobre a história e a evolução do automóvel. Mas o edifício, só por si, já valeria a visita.

Local: Rua Nova da Alfândega.
Contacto: 22 340 30 00.
Horário: terça a sexta, das 10.00 h às 12.00 h e das 14.00 h às 18.00 h; fim-de-semana e feriados, das 15.00 h às 19.00 h. Encerra à segunda.

• Nesta altura, está já próximo da zona da Ribeira, o verdadeiro centro histórico do Porto. A seguir à Rua Nova da Alfândega, suba a Infante D. Henrique e procure a entrada do novo parque de estacionamento subterrâneo, que fica na praça com o mesmo nome. Não muito longe, encontra-se o Palácio da Bolsa (com o seu famoso Salão Árabe) e o antigo Mercado Ferreira Borges (hoje, um espaço de animação cultural), bem como, a poucas dezenas de metros, a célebre Praça de Ribeira. Do Cais da Ribeira, terá uma vista excelente sobre várias paisagens míticas do Porto e Gaia: as pontes de D. Luís I e de D. Maria Pia; as escarpas da outra margem do Douro, o Mosteiro da Serra do Pilar; o Cais dos Barcos Rabelos; as diversas Caves do Vinho do Porto.

• Na Ribeira propriamente dita, há muito para explorar: as vielas e as casas típicas, as escadarias de pedra e os pátios, as lojas tradicionais (muitas delas já em declínio), os restaurantes e bares da moda, as esplanadas convidativas. No entanto, é à noite, mais do que durante o dia, e sobretudo aos fins-de-semana, que esta zona se enche de vida. A animação nocturna da Ribeira goza de merecida fama. Por isso, considere a hipótese de voltar aqui mais tarde. Por agora, não deixe de passar, a pé, a ponte D. Luís I e visitar também a chamada ribeira de Gaia. Poderá apreciar os barcos rabelos e – porque não? – aproveitar para fazer uma visita a uma das caves de vinho do Porto. As Caves Sandeman, por exemplo, ficam no Largo Miguel Bombarda, a 100 metros da ponte. Para informações sobre horários e preços, poderá ligar para o n.° 22 374 05 00. As Caves Calem também ficam muito perto, na Avenida Diogo Leite, n.° 25 (contacto: 22 379 40 41).

Comentários

Comentários