0001

Foz do Arelho

Depois, pegue no carro e, contornando a estátua da Rainha D. Leonor, no Largo Conde de Fontalva, siga em direcção à Foz do Arelho. A estrada segue por um longo túnel formado pelas densas copas de plátanos, plantados de ambos os lados da via. Passará também por muitos pinhais de aspecto gracioso.

• A Praia da Foz do Arelho fica na extremidade oeste da Lagoa de Óbidos, que comunica com o mar através de um canal estreito. De ambos os lados, encontram-se um amplo areal e bons locais para tomar banho, embora o mar esteja sempre um pouco agitado. Na lagoa, deverá evitar os locais mais afastados do canal de ligação com o mar, porque a água está um pouco poluída nos terrenos junto às margens, devido, sobretudo, aos produtos utilizados na agricultura. Nas enseadas junto ao canal, a água é limpa, pouco profunda e ideal para as crianças brincarem. Por outro lado, no canal de ligação com o mar é preciso ter mais cuidado, porque, nas alturas de maior fluxo das marés, a água pode correr com muita força. Junto à praia, as ofertas são variadas, entre campos de jogos, restaurantes e parque de merendas. E não abandone o local sem reparar na bonita capela que se encontra ao lado do parque de estacionamento.

• Depois de alguns mergulhos revigorantes, siga pela estrada que acompanha a margem da lagoa, em direcção ao Nadadouro. No cruzamento, vire à direita e repare, um pouco adiante, no curioso arco natural talhado pelo vento num maciço de arenito, que faz lembrar algumas paisagens do deserto americano.

Continue por essa estrada e repare nos ancoradouros, onde os barcos estão amarrados a varas compridas, de forma a poderem acompanhar as diferenças do nível das águas, provocadas pelas marés. Seguindo o caminho para leste, observe também as alterações que se vão produzindo na lagoa, desde as águas salgadas e limpas junto ao mar, onde as margens quase não têm vegetação, até ao outro extremo, onde a água está bastante mais turva, denotando uma grande eutrofização – as chuvas vão arrastando detritos e fertilizantes agrícolas, constituindo um óptimo substrato para esta vegetação aquática que, aos poucos, vai ganhando terreno.

Comentários

Comentários