Flysh carbonífero del Bajo Alentejo. Cabo Sardao

Cabo Sardão

Mais tarde, quando a vontade de continuar a explorar as redondezas falar mais alto, volte à vila e, na rotunda logo à entrada, tome a estrada da direita, em direcção ao Cabo Sardão (atenção, não está indicado!). Cerca de um quilómetro depois, encontrará mais uma área de merendas, à esquerda. No cruzamento seguinte, siga na direcção de São Teotónio e Zambujeira do Mar (numa placa pouco visível também está indicado Cabo Sardão). Adiante, encontrará as indicações Cabo Sardão e Cavaleiro; alguns metros depois, vire à direita, na direcção oposta às placas São Teotónio e Zambujeira do Mar.
Siga sempre em frente e ficará defronte do farol. Aí, corte à esquerda e siga por uma estrada de terra batida, que o levará a um campo de futebol ao lado da casa do farol. Estacione e, depois, aproxime-se com cuidado da falésia: nessa altura, estará diante de uma das mais paisagens mais selvagens e, por isso mesmo, mais espectaculares de toda a costa portuguesa! De um lado e do outro, os penhascos escarpados sucedem-se, habitados apenas por algumas cegonhas-brancas que, estranhamente, aproveitam os pontos mais altos para aí fazerem os seus ninhos. Ao que parece, estas são as únicas cegonhas-brancas, em todo o mundo, que nidificam em escarpas marítimas. Por isso, não hesite: escolha um sítio adequado, sente-se durante alguns momentos, respire fundo e aproveite bem esta oportunidade de reforçar os laços com a Natureza…

Comentários

Comentários