parque 3

Parque Aquilino Ribeiro

Se lhe apetecer fazer uma pequena pausa, aconselhamos uma visita a este belo jardim, que fica numa zona central da cidade. A vegetação é luxuriante. Repare, por exemplo, nas árvores, muito altas, que fazem com que alguns recantos do parque pareçam verdadeiras florestas. Enormes carvalhos estendem as suas volumosas copas, sem receio de serem “devorados” pelo próximo fogo florestal. Próximo de um lago, existem outros carvalhos, certamente seculares, cujo tronco deve ter mais de metro e meio de diâmetro. Por todo o recinto estão espalhados bancos, onde poderá sentar-se para apreciar devidamente tudo o que descrevemos.

• Para os que gostam de patinagem, é bom saber que, neste parque, existe um óptimo ringue para a prática desta modalidade. E, se puder, também é boa ideia levar as bicicletas das crianças, pois há diversos arruamentos de bom piso. Dispõe igualmente de um bom parque infantil, com vários equipamentos e instalações sanitárias. Os mais novos também podem utilizar a Biblioteca Infantil Aquilino Ribeiro, que funciona de segunda a sexta-feira, das 09.30 h às 12.30 h e das 15.00 h às 18.00 h.

• Saindo do parque, e depois de passar junto ao Largo da Feira de São Mateus, visite a Cava de Viriato que, além da conhecida estátua, também acolhe uma estação arqueológica. Aqui foi descoberto um antigo acampamento militar, construído pelos romanos aquando da sua presença na península. A partir do séc. XVI, esta construção foi erroneamente associada a Viriato e, mais tarde, a confusão acabou por ser reforçada pela colocação do monumento em sua honra.

6750464177_8762db1ec7_b

Albufeira de Fagilde

Regressado à EN 16, siga em direcção a Penalva do Castelo.

• A certa altura, depois de passar uma ponte, verá, do lado direito da estrada, uns cedros de grande porte. Pouco depois, chegará a Fagilde. Aí, siga a indicação, à esquerda, de Barragem de Fagilde e Praia Fluvial. O acesso faz-se por uma estrada de terra batida em estado razoável. Perto da água, existe um pequeno bar com uma óptima esplanada e “gaivotas” para alugar. Um pouco adiante, encontrará a praia fluvial, integrada numa paisagem de grande beleza. Repare também numa estrada florestal que passa junto à água, por onde poderá fazer um agradável passeio pedestre ou de bicicleta.

• Ao que parece, existem na albufeira bons exemplares de carpas e barbos. Por isso, se é um adepto da pesca, vale a pena trazer o equipamento (e a astúcia) para tentar enganar estes difíceis peixes. No entanto, se tiver “sorte”, não se esqueça de que, depois de guardar um ou outro exemplar para consumo próprio, é melhor devolver os outros à água (conservados vivos, entretanto, num balde ou numa rede imersa), de forma a contribuir para a preservação da espécie. Lembre-se de que os recursos aquáticos, sobretudo no interior, dependem muito do comportamento dos pescadores, que devem evitar capturas excessivas.

banner_007

Caldas da Cavaca

Atravessando as ruelas de Coruche, apanhe a estrada que leva até às Termas da Cavaca. As águas destas termas são reputadas pelo seu efeito benéfico em casos de prisão intestinal, colites e doenças de pele. A estância está com um aspecto um pouco degradado, mesmo abandonado, mas existe um óptimo jardim, esse sim bem cuidado, que vale a pena visitar. Dispõe de mesas, cadeiras e um pequeno parque infantil.
Aproveite também para dar um passeio a pé pelos arredores, através dos muitos caminhos visíveis.

• Depois, dirija-se à EN 229 e siga na direcção de Viseu. A estrada atravessa uma paisagem bonita, repleta de recantos aprazíveis, onde poderá efectuar pequenas paragens. Mais ou menos a meio, ainda poderá fazer um pequeno desvio na direcção de Sátão, uma localidade também bastante antiga, como o comprova o facto de lhe ter sido atribuída, pelo conde D. Henrique, a sua primeira carta de foral no já longínquo ano de 1111.

• Finalmente, chegando a Viseu, sugerimos que aproveite o fim de tarde para um último passeio pela zona velha da cidade, sob as copas frondosas das tílias. Se gosta de antiguidades, não deixe de visitar os vários antiquários instalados perto da Sé, onde as peças de arte sacra são o ponto forte.

foto01898

Alcafache

Saia de Viseu em direcção à Guarda, tomando a velha EN 16, e vire depois à direita, seguindo a indicação Termas de Alcafache. Estacione o carro próximo das termas e desça até ao rio, pelo jardim, para apreciar a paisagem fluvial.

• No jardim das termas, poderá provar as águas medicinais, que jorram de uma torneira instalada num nicho. Estas águas termais, que são das mais ricas e quentes do país (51° C), são captadas a cerca de 75 a 150 metros de profundidade e têm uma elevada pureza bacteriológica e fisico-química. Apesar do seu paladar forte não agradar a todos, saiba que estas águas são óptimas para tratar problemas de ordem reumatismal, pneumológica e otorrinolaringológica.

• Voltando ao carro e regressando pela mesma estrada, vire à direita num caminho a seguir às últimas casas desse lado da via. Encontrará uma excelente praia fluvial junto ao Rio Dão, apenas separada das termas por uma ponte. Aqui, o único “problema” será decidir qual o recanto mais apetecível à beira-rio, para se instalar e passar umas horas agradáveis. Existem locais muito bons, onde as crianças poderão tomar banho em segurança. Junto à margem, há também um excelente pinhal, onde a caruma perfumada cobre o solo como um manto macio. De referir que encontrámos o local impecavelmente limpo, o que, infelizmente, é digno de nota no nosso país.