Barragem de Crestuma

Depois, terá chegado a altura de rumar a outras paragens. Volte ao carro e siga em direcção à ponte de D. Luís I. Aí, antes de entrar na ponte, vire à esquerda, na direcção de Gondomar e Entre-os-Rios. Continuará a circular pela marginal do Douro. Olhando à sua direita verá certamente, se o tempo estiver bom, diversos pescadores à beira-rio e vários barcos desportivos e de pesca que constantemente descem e sobem o Douro. Depois de passar por baixo da Ponte do Freixo, que faz a ligação entre o IP1 e o IC23, chegará a um entroncamento onde terá de virar à direita e, logo a seguir, encostar-se à esquerda, de forma a continuar pela marginal (que passa a ser a EN 108), sempre na direcção de Entre-os-Rios. Conserve essa referência ainda durante algum tempo e evite virar para Gondomar, o que não é fácil, pois, nesta zona, as indicações do trânsito estão um pouco confusas.
Esta estrada ribeirinha é uma das mais características dos arredores do Porto. De um lado, há sobretudo o casario, quase obsessivamente disposto pela encosta na ânsia de aproveitar tudo o que o rio tem para dar; do outro, a calma das margens do Douro, as embarcações que navegam silenciosamente no seu leito e os bares e restaurantes que, aqui e ali, oferecem aos passantes petiscos nortenhos “condimentados” com a bela paisagem. Se não houver muito trânsito, aproveite para circular devagar, saboreando bem a beleza desta estrada. Infelizmente, alguns troços estão um pouco degradados e, na berma, há por vezes algum lixo e restos de entulho, mas isso apenas lhe retira um pouco da magia. Mesmo antes de chegar à Barragem de Crestuma, há um parque de estacionamento, à direita, junto a um restaurante. Aproveite para sair do carro e admirar melhor esta zona do Douro.

Comentários

Comentários