Almograve

Almograve

Volte à EN 393 e continue na direcção de Lagos. Cerca de 8 quilómetros depois, vire à direita, para onde uma placa indica Almograve. Pouco antes de entrar nesta povoação, a seguir à Longueira, encontrará uma nova área de merendas, pequena, mas aprazível. Não muito longe, há também uma pequena fonte.
A entrada na vila faz-se por uma rotunda. Para ir para a praia, siga sempre em frente. Algumas centenas de metros adiante, há uma ligeira subida ladeada por algumas dunas e, a seguir, começará a avistar o mar. Ao chegar ao parque de estacionamento, junto à falésia, verá, à esquerda, uma praia de areia; à direita, outra praia, esta de calhaus rolados, frequentada quase exclusivamente por pescadores. De um e outro lado, alguns caminhos, a uma distância prudente das arribas, prometem agradáveis passeios de descoberta da flora do litoral alentejano (nesta zona, ainda é possível encontrar arbustos como o samouco e a sorveira e a flor cor-de-rosa da Armeria rouyana). Na praia do lado direito, o areal extenso deixa adivinhar a possibilidade de passar algumas horas agradáveis à beira-mar. Nalguns pontos, os rochedos formam pequenas enseadas que, na maré cheia, se transformam em autênticas piscinas naturais, que farão as delícias das crianças. Graças à protecção das dunas e dos rochedos, o vento sopra, quase sempre, de forma moderada. Tudo isto faz com que, nos dias mais quentes da Primavera, quando a procura da areia e do sol ainda não é excessiva, a Praia do Almograve se revele um pequeno paraíso.

Comentários

Comentários